Thee Vicars: “Não vai ser fácil tirarem-nos do palco”

Os britânicos voltam a Portugal para se estrearem no Barreiro Rocks. Contam conhecer “uma festa dos diabos”. E o vocalista, Mike Whittaker, avisa que à hora que se prevê actuarem já deverão estar “bem carregados de álcool”


Mike Whittaker tem apenas 20 anos, é baixista e vocalista dos britânicos Thee Vicars, banda que este ano actua pela primeira vez no Barreiro Rocks. O grupo é descrito pela organização como “um dos melhores da Europa” e também teria “qualidade para ser cabeça de cartaz”. Já passaram por Portugal uma vez. Mas, apesar desses “dois concertos loucos”, como os recordam, assumem em exclusivo ao FrankMarquesBlog que “ainda” não tocaram o suficiente no nosso país, o qual, sublinha Whittaker, “parece um local muito bom para o garage rock”. E, garante, nem o facto de algumas horas depois do Barreiro terem nova actuação marcada para a cidade do Porto vai obrigar a poupanças.

“Vai ser apenas o nosso segundo concerto como trio. Éramos quatro, mas saíram dois elementos, entrou um novo baterista e agora somos o trio de rythm ‘n’ blues mais selvagem alguma vez visto. Temos ainda um ‘show’ de aquecimento em Londres. No Barreiro vamos tocar às 2h30 e a essa hora devem esperar que estejamos já bem carregados de álcool. Vai ser a loucura. Não vai ser fácil tirarem-nos do palco e, por isso, pedimos desde já desculpa”, anuncia o disponível baixista e vocalista dos Thee Vicars, numa entrevista concedida via mail.

Historial abre apetite
Sobre o que vai encontrar na margem sul do Tejo, Mike Whittaker assume ter poucos dados, mas o historial do festival deixa antever um óptimo cenário. “Nunca estivemos no Barreiro, mas dá-me ideia que é uma festa dos diabos. Tem contado com grandes bandas nas últimas edições e este ano não é excepção”, refere o músico britânico, consciente do décimo aniversário do evento e revelando um desejo: “Quero ver todas as outras bandas”. O baixista assume-se, igualmente, um defensor da intimidade com o público – “penso que nem há outra forma de dar um espectáculo. Estamos habituados a tocar tarde e termos proximidade com as pessoas.”

Os Thee Vicars, que se auto apelidam de “reverendos” e lançaram no final de 2009 o segundo álbum, Psychotic Beats, sabem que vão ter em Portugal “um fim de semana de pouco descanso”. Mas garantem saber “o que esperar”. “Da última vez que estivemos no vosso país, demos um concerto de duas horas e agora estamos a contar com algo similar no Barreiro”, adianta Mike Whittaker, que, para quem não conhece ainda o grupo, deixa uma breve apresentação: “O nosso primeiro LP era mais para o punk e o garage rock. Mas penso que o nosso som agora é mais R‘n’B selvagem. Tenham por referência os Yardbirds, os Remains, os Downliners Sect ou os Sonics.”

Os britânicos actuam na after-party do primeiro dia do Barreiro Rocks. As horas previstas para iniciarem a actuação são as 2h30, já madrugada de sábado. O final?… ninguém sabe!

Para saber mais:
Myspace dos Thee Vicars

Outros artigos sobre o Barreiro Rocks:
Duas noites, duas longas festas
Cinco Países em dois dias
Festival em “tour” de norte a sul
Entrevista: Carlos Ramos, Nick Nicotine e Picos num três em um
Dez anos a dar música a Portugal
Los Chicos: “Encanta-nos o contacto com as pessoas”

VoxPop
Testemunhas de… Barreiro Rocks

Fotogaleria
Cinco anos de Associação Hey Pachuco

Apresentação em vídeo
Cartaz garante festa

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s