| PIERCED ARROWS – Kelly | “É uma honra tocar com os Cole”

O baterista dos Pierced Arrows

Filho de um antigo colaborador de Fred Cole e baixista de vocação, tornou-se baterista para poder fazer parte dos Pierced Arrows. “Foi um pouco assustador”, confessa. De regresso a Portugal, onde já tocou com os Severed Head of State, em 2007, espera ter a oportunidade de experimentar algumas das nossas bebidas tradicionais e comprar “um monte” de discos portugueses. Em Portland, deixou a namorada. Mas ela é a vocalista da banda Don’t e compreende estas viagens. Em perspetiva para o Barreiro Rocks, o baterista avisa: será mais um concerto repleto de “barulho, suor e paixão”.

Página 2: “Um maníaco do vinyl”

——————–
Mais informação sobre o Barreiro Rocks 2011:
O cartaz, as bandas [com vídeos]
Planeta FrankMarques especial [#32]
ENTREVISTAS exclusivas:
Jack Oblivian
Harlan T. Bobo
Dex Romweber Duo
Pierced Arrows
——————–
FrankMarquesComo é que conheceu os Cole e se tornou membro dos Pierced Arrows?
Kelly Halliburton
– Eu, por acaso, conheci os Cole no início dos anos 70 quando o Fred estava na mesma banda do meu pai, os Albatross. Fui a alguns dos concertos e ensaios deles, mas, claro, era demasiado puto para me lembrar agora de muita coisa.
Mais tarde, à medida que estava a crescer, é claro que conheci os Dead Moon, sabia bem quem eram o Fred e a Toody Cole, e como tínhamos partilhado parte da nossa história. Mas eu nunca fui apresentado oficialmente a eles em adulto. Pelo menos até os Dead Moon tocarem em Estugarda, Alemanha, no verão de 2001. Nessa altura, eu estava a viver em Ludwigsburg, uma pequena cidade nas imediações de Estugarda. Fui ao concerto, disse-lhes quem era e passámos um bocado juntos. Alguns anos mais tarde, voltei para Portland e de vez em quando encontrava-os em concertos. Pouco depois, os Dead Moon acabaram e o resto é história.

O Kelly era baixista mas tornou-se baterista nos Pierced Arrows. Foi difícil a mudança?
Bem, eu fiz sempre muito confusão com as baterias, mas nunca tinha tocado de forma muito séria. Quando a Toody me ligou e me perguntou se eu queria formar uma nova banda com ela e o Fred, eu já não tocava num ‘set’ de bateria há alguns anos, por isso foi um pouco assustador. Tinha de tentar e tornar-me o melhor que pudesse o mais rápido possível. O meu principal instrumento é o baixo, mas também toquei guitarra e bateria em diferentes discos ao longo dos anos. Gosto do desafio de tocar vários instrumentos e gosto de manter uma certa diversidade na minha vida!

Os Arrows noi iníco, em 2007

Como é estar no meio de um casal com o peso histórico dos Cole?
Bem, eu tenho muito respeito pelo Fred e pela Toody. É uma honra tocar com eles.

É bem mais novo que eles. É fácil lidar co dois colegas de banda com mais de 60 anos?
Eu tenho 40 anos. Há algumas diferenças entre nós por causa da diferença de idades, mas não muitas. Eles são bastante jovens para alguém que está na faixa dos 60 anos.

Em sua opinião, qual é o segredo da juventude deles?
Rock ‘n’ roll!

Autoplay
“The doorway”, tema incluído no “split-single” partilhado com os Black Lips
[ScionAV, Julho 2010]

Página 2: “Um maníaco do vinyl”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s