| DEAD COMBO | “Será uma honra reabrir o AMAC”

Gangster e Cangalheiro de volta

Gangster e Cangalheiro de volta

No dia em que Tó Trips, o músico que “veste” a pele de Cangalheiro nesta dupla, celebra o 47.º aniversário (quarta-feira, 23 de janeiro), publicamos a entrevista exclusiva que Pedro Gonçalves, o Gangster, concedeu ao FrankMarques’blog sobre o regresso do grupo ao Auditório Municipal Augusto Cabrita, no Barreiro, cidade de onde zarparam, curiosamente, um dia ao nascer do sol para, sob orientação da fotojornalista e amiga Rita Carmo, fotografar numa ilha de cascas de ostras a meio do Tejo a capa do último disco. O concerto que se aproxima marca a reabertura do auditório do município barreirense 2 anos após ter fechado para obras. Conhecedor da “movida” Rock barreirense, o baixista assume ser “uma honra” participar neste renascer do AMAC num ano também “especial” para o grupo: a 11 de fevereiro, a dupla lança em França o último disco editado, “Lisboa mulata”, e a 28 atuam em Paris. A somar a tudo isto, e tal como o próprio auditório barreirense em novembro próximo, os Dead Combo celebram em março 10 anos de existência. Há surpresas nas mangas da dupla, como revelamos já a seguir.

——————
Dead Combo ao vivo no AMAC, Barreiro, 2 de fevereiro, sábado
——————
(Autoplay a funcionar no rodapé da entrevista)

FrankMarques: Regressam ao Barreiro (sábado, 2 de fevereiro) para a reabertura do Auditório Municipal (AMAC), por onde já passaram em 2007 (Festival BOM). Para a cidade será um concerto com muito significado. E para os os Dead Combo?
Gangster
: Para nós será uma honra reabrir o auditório do Barreiro. Numa altura em que tantos estão a ficar estrangulados financeiramente, é de louvar a iniciativa de abrir um renovado.

Reconhecida como uma das mais profícuas fontes de Rock em Portugal, a cidade foi sempre muito abafado pela capital. O que conhecem e como situam o Barreiro no mapa da música portuguesa?
Conhecemos algumas bandas locais e também somos fãs do Barreiro Rocks. O Barreiro já tem um lugar próprio na música portuguesa, cremos.

Foto gentilmente cedida por Rita Carmo, fotojornalista responsável pela produção para a capa de “Lisboa mulata”. Na imagem, Tó Trips e Pedro Gonçalves, já sem a “pele” dos Dead Combo, embarcam no banco de ostras a meio do Tejo onde tinham acabado de posar para a capa de “Lisboa mulata”. Era o regresso ao Barreiro, de onde tinham zarpado antes do nascer do sol numa manhã de agosto de 2011

Podemos esperar músicas novas dos Dead Combo no Barreiro?
Estamos a trabalhar, como sempre, em novas músicas. Talvez arrisquemos tocar uma ou outra no espectáculo.

“Like a drug” (original dos Queens of the Stone Age), Dead Combo
(Gravado ao vivo nas Noites Ritual, 31 de agosto de 2012. Tema do álbum “Lusitânia playboys”, 2008 – publicado por AliceDamnation)

O Gangster em ação

O Gangster em ação

Abrem fevereiro a tocar no Barreiro e pouco mais de uma semana depois lançam “Lisboa mulata”, o último álbum, em França. Será este um mês especial para os Dead Combo, que o fecham a tocar exatamente em Paris?
Sim, será um mês especial. Para nós, a exportação da música sempre foi uma prioridade. Estamos, finalmente, a dar os passos certos nesse sentido.

Celebram, curiosamente, 10 anos a 15 de março, data de “nascimento” do projeto assumida um pouco na incerteza na entrevista atrás referida.
A data de “nascimento”, por acaso, é 31 de Março de 2003, o dia em que fomos ambos ver o Howe Gelb e que resultou na primeira reunião musical.

“Putos a roubar maçãs”, Dead Combo
(Tema retirado do álbum “Lusitânia playboys”, 2008)

O que estão a preparar de especial para este aniversário redondo?
Estamos a planear várias coisas, entre as quais a edição de uns livros, alguns concertos especiais, re-edições especiais… Enfim, muita actividade.

Os Dead Combo ao vivo em Cannes

Os Dead Combo ao vivo em Cannes

A edição francesa de “Lisboa mulata”, marcada para 11 de fevereiro, pode ser vista como uma das consequências do concerto no festival de cinema de Cannes, em maio de 2012, ou não?
Nada a ver. É uma consequência, sim, do trabalho das pessoas com quem colaboramos desde há alguns anos.

Nessa passagem pelo glamour do cinema europeu, como se sentiram o Gangster e o Cangalheiro entre as estrelas da sétima arte? Imaginamos que nunca os vossos fatos terão estado tão integrados no ambiente ao redor.
Somos pessoas simples. O glamour de Cannes é um pouco desajustado da realidade. Gostamos mais do glamour do antigo Cais-do-Sodré.

Acabam de emitir na SIC Radical o “vosso” episódio do “No Reservations”. Além de conhecerem o Anthony Bourdain e do repasto de conservas portuguesas, o que trouxe aos Dead Combo o programa?
Deu-nos uma maior exposição nos Estados Unidos e no resto do Mundo. Graças ao programa tivemos 3 álbuns no top do iTunes norte-americano, na secção de World Music.

“No Reservations”, Lisboa (4.º episódio da 8.ª série)

Pegando na ideia do “No Reservations”, já conhecem as Bolas de Manteiga, bolo tradicional do Barreiro?
Por acaso não.

Gostavam de conhecer?
Pelo nome parece delicioso. Gostávamos pois!

Capa de "Lisboa mulata"

Capa de “Lisboa mulata”

Há ano e meio, noutra entrevista ao FrankMarques’blog, assumiam-se “tesos”. Acreditamos que tenham, a esta altura, mais algumas moedas no bolso. Este será, contudo, um ano muito difícil para os trabalhadores independentes. Como antevêem 2013 e o que esperam do Governo e de Portugal?
Antevemos um ano muito complicado para todos os que tenham de trabalhar em Portugal. Felizmente este será um ano de grande movimentação internacional para os Dead Combo. Quanto ao país, esperamos que os Portugueses abram os olhos e percebam que quem nos governa somos nós e não um grupo de corruptos, eleitos através de mentiras.

Já pensaram seguir a última “moda” de alguns artistas europeus e mudar a nacionalidade fiscal do Gangster e do Cangalheiro? Talvez para França, de onde “fugiu” Gerard Depardieu…
Não! Nem nunca tal nos passou pela cabeça. Deixamos esse tipo de atividade para os profissionais do ramo, os políticos!

“Peep Show” (Speaky TV), com Dead Combo
(Maio, 2002 – publicado por Grande Espingarda)

Dezembro 2011

Dezembro 2011


LINK: Entrevista de 2011 ao FrankMarques’blog, em colaboração com a MUDA Magazine


AUTOPLAY

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s