Cinco países em dois dias

De Lisboa ao Reino Unido, passando pela América do Norte, no primeiro dia do Barreiro Rocks 2010. Porto Rico revela-se na segunda noite. As honras de fecho dos concertos vão para o blues dos espanhóis Guadalupe Plata. As guitarras invadem a margem sul.

O Barreiro Rocks 2010 abre dia 12 de Novembro, pelas 22 horas, no idioma de Camões, com as letras bem “esgalhadas” do lisboeta Tiago Guillul, um dos pontas-de-lança da editora Flor Caveira. Carlos Ramos, da organização, garante tratar-se de “um dos melhores músicos” que conhece, apontando-lhe “um sentido de humor e de missão geniais”. À folk alfacinha, que o próprio Guillul descreve como “panque-róque”, segue-se o “lo-fi” do norte-americano Ty Segall, descrito pelo director do festival barreirense como “o mestre das canções sujas”. É ele o primeiro estrangeiro a pisar o palco dos Ferroviários este ano, no Barreiro, para onde Segall ruma apenas um dia depois de actuar do outro lado do Atlântico, na sua cidade natal, São Francisco.

Os canadianos Demon’s Claws são os “rockers” que se seguem. Companheiros de digressão ibérica dos Strange Boys, o grupo de Montreal também toca com os norte-americanos um dia antes em Saragoça e quatro dias depois repetem em Barcelona. Carlos Ramos, da Hey Pachuco, cita King Khan para dizer que, “se os Black Lips fossem os Beatles, os Demon’s Claws seriam os Rolling Stones”. Comparação que carece de confirmação a partir da meia noite de 12 de Novembro.

Após o fecho do palco principal pelos já famosos Strange Boys, segue-se a primeira “after-party” do Barreiro Rocks, com a actuação de “uma das melhores bandas da Europa”, na óptica de Carlos Ramos: os britânicos Thee Vicars, cuja actuação está marcada para as 2h30 da madrugada e que prometem arrasar (ler entrevista).

Orgasmos visuais e o nascer do sol
No segundo dia, depois dos projectos portugueses Tiguana Bibles e Nicotine’s Orchestra relançarem o festival e antes dos “orgasmos aurais e visuais” prometidos por King Khan & the Shrines, destaque para os porto-riquenhos Davila 666, que viajam pela primeira vez para Portugal, a meio de uma digressão europeia que os leva também a França, Espanha, Itália, Finlândia ou Grécia. “Têm o rock e a soul na alma, e o punk no coração. São capazes de fazer os Black Lips parecerem meninos de coro. Tenham medo”, avisa Carlos Ramos, um entusiasta desta banda que vai mostrar no Barreiro o pouco conhecido rock das Caraíbas.

O ponto alto do segundo dia será, certamente, a presença no Barreiro de King Khan & the Shrines, que no final de Junho surpreenderam no Festival MED, em Loulé. E isto poucas semanas depois de o canadiano ter acabado numa esquadra de polícia a noite em que actuou no festival Primavera Sound, de Barcelona. “Nem toda a gente pôde ir vê-lo ao Algave. E a verdade é que o King Khan dá sempre bons espectáculos. Penso que com a passagem pelo MED ficou lançada uma boa base para ele vir agora mais perto da capital, num fim de semana e ter mais gente a vê-lo”, sublinha o director do Barreiro Rocks.

As honras de fecho do festival pertencem este ano aos Guadalupe Plata, únicos representantes espanhóis no cartaz e que confirmam os desejos da organização de terem sempre um nome do outro lado da fronteira. Carlos Ramos explica que “as bandas espanholas trazem sempre fãs” e os “nuestros” vizinhos têm representado uma fatia de 10% da assistência do Barreiro Rocks. Os eleitos deste ano assumem a derradeira “after-party” e a organização confia conseguir prender o público no pavilhão à custa dos “blues revisitados à luz do século XXI dos Guadalupe Plata”. Se correr como testemunhado em anos anteriores, as últimas pessoas a deixarem o espaço do festival poderão vir a dar de caras com o nascer do sol.

Para saber mais, clique no nome do festival ou das bandas:

Barreiro Rocks

12 Novembro – sexta-feira
22h – Tiago Guillul (Lisboa, Portugal)
23h – Ty Segall (São Francisco, EUA)
00h – Demon’s Claw’s (Montreal, Canadá)
01h – The Strange Boys (Austin, EUA)

————
After party:
02h30 – Thee Vicars (Bury St. Edmund, Reino Unido)

13 Novembro – sábado
22h – Tiguana Bibles (Coimbra, Portugal)
23h – Nicotine’s Orchestra (Barreiro, Portugal)
00h – Davila 666 (San Juan, Porto Rico)
01h – King Khan & the Shrines (Montreal, Canadá/ Berlim, Alemanha)

——–
After Party:
02h30 – Guadalupe Plata (Jaén, Espanha)

Todas as noites, há discos trocados por DJ Shimmy (Nova Iorque, E.U.A.)

Música gratuita na internet:
King Khan & the Shrines – “Land of the freak” (disponibilizado pela Vice Land Records)
Guadalupe Plata – EP homónimo (disponibilizado a partir o myspace)

Outros artigos sobre o Barreiro Rocks:
Duas noites, duas longas festas
Festival em “tour” de norte a sul
Thee Vicars: “Não vai ser fácil tirarem-nos do palco”
Entrevista: Carlos Ramos, Nick Nicotine e Picos num três em um
Dez anos a dar música a Portugal
Los Chicos: “Encanta-nos o contacto com as pessoas”

VoxPop
Testemunhas de… Barreiro Rocks

Fotogaleria
Cinco anos de Associação Hey Pachuco

Apresentação em vídeo
Cartaz garante festa

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s