Tindersticks na Aula Magna em modo “banda sonora”

"Box Set" em Abril e concerto na Aula Magna em Maio

A banda de Stuart Staples está de volta a Portugal, terra onde são mais do que bem acolhidos desde meados da década de 90. E uma vez mais regressam à casa de partida. O espectáculo está marcado para 11 de Maio, integrado no programa do festival de cinema Indie Lisboa e insere-se na digressão de promoção a uma nova “box set” de cinco discos, que o grupo britânico originário de Nottingham lança no início de Abril.

Os Tindersticks vão voltar a Portugal para um concerto especial. O grupo britânico, que possui um culto de seguidores fiel e numeroso no nosso país, vai actuar a 11 de Maio, na Aula Magna, sala onde começaram a forte relação que mantém com os portugueses. O concerto insere-se na programação do festival de cinema Indie Lisboa e, bem a propósito, vai ter um alinhamento especial. Stuart Stapels e companhia vão tocar temas das seis bandas sonoras produzidas (duas delas a solo por elementos da banda) para outros tantos filmes da realizador francesa Claire Denis.

A ligação entre Denis e os Tindersticks arrancou em 1996 com o filme “Nénette et Boni”. Reforçou-se cinco anos depois com “Trouble every day”. Em 2008, os britânicos musicaram ainda “35 rhums”, repetindo o trabalho há dois anos no último filme da francesa até à data, “White material”. É desses discos que vai sair o alinhamento do espectáculo de 11 de Maio. É possível, no entanto, dado o forte laço que une a banda ao nosso país, que o grupo aceda a tocar alguns dos seus maiores êxitos dos álbuns de estúdio.

“Let’s pretend”, da BSO de “Nénette et Boni”

“Box Set” na base do concerto
O concerto faz parte da digressão “Claire Denis Film Scores” e promove a edição a acontecer no início de Abril de uma “box set” do mesmo nome, a que é acrescentado o período: “1996-2009”. Para além das quatro bandas sonoras dos Tindersticks, a “box” inclui ainda um quinto disco outras duas realizadas a solo: “The intruder” (2004), pelo vocalista Stuart Staples; e “”Vendredi Soir” (2002), pelo multi-instrumentista Dickon Hinchliffe, que deixou a banda em 2006. A “box” vai ter edição em CD e vinyl, integrando, além dos discos, um livro de 48 páginas com imagens dos filmes e um texto do jornalista Michael Hill.

Esta entrada foi publicada em Música com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s