Mourinho ainda é amado em Itália

Um dia depois da mais pesada derrota dos dez anos como treinador que está a celebrar, o timoneiro português do Real Madrid pôde ler hoje a declaração de amor que lhe foi dirigida desde Itália. O holandês Wesley Sneijder assume a paixão. Desportiva, entenda-se.

Mourinho foi desfocado por Guardiola

O Real Madrid foi ontem à noite uma sombra do que vinha mostrando nas últimas semanas. Os 5-0 que “levou” em Barcelona e que se tornam historicamente na mais pesada derrota de uma equipa orientada por José Mourinho, não são vistos pelo treinador como uma “humilhação”, mas sim apenas como um resultado “justo” de “uma equipa que jogou de acordo com o seu potencial e outra que não o fez”. A crítica, sempre pronta para atacar, não perdoou e caiu sobre aquele que se assume como melhor treinador Mundial da actualidade. De Itália, porém, há quem tenha muita coisa boa para dizer sobre Mourinho e que num dia como este, o da digestão da mais pesada derrota de sempre, terá feito muito bem ao treinador.

O holandês Wesley Sneijder , do Inter de Milão e treinado na última época pelo português, concedeu uma entrevista exclusiva à revista France Football em que não poupa elogios a Mourinho. “A mestria dele para gerir qualquer situação é incrível. Uma vez disse-me que eu parecia cansado. ‘Tira uns dias de folga, vai para o sol com a tua mulher e a tua filha’. Todos os outros treinadores apenas falam dos treinos, mas ele mandou-me para a praia. Fui para Ibiza e quando voltei estava pronto para matar e morrer por ele”, confessou Sneijder, deixando ainda assim um conselho para quem se cruzar com o agora treinador do Real Madrid: “Se o tratares mal, ele vai tratar-te pior. Não podes ser estúpido com ele.”

Apesar de tudo, hoje não foi certamente um bom dia para José Mourinho. Logo após a partida de Camp Nou, o português deu a receita para o Real dar a volta por cima e voltar às vitórias. “Temos de mostrar carácter e treinar ainda mais duro. Gostava de ter um novo jogo já agora. Quando perdemos por cinco golos não podemos deixar o campo a chorar, temos de reagir e trabalhar mais”, disse o treinador, salientando que “o campeonato ainda não acabou, estamos só a dois pontos.”

A mesma opinião tem Pep Guardiola, o timoneiro do Barça. “Gostava de ter ganho mais pontos ao Real, mas não dá. Aquela equipa, com todo aquele potencial, está só dois pontos atrás de nós. Seja como for, hoje (ontem) estamos satisfeitos”, concretizou o catalão, que durante o jogo teve um desaguisado com Cristiano Ronaldo. O treinador “culé” recusou devolver uma bola ao português, que pretendia marcar rapidamente um lançamento lateral, e o avançado empurrou-o. “Problemas com Ronaldo? Nada disso. Foi uma situação do próprio jogo, já está esquecido”, atirou Guardiola.

Na internet, via twitter, surgiram diversas manifestações ilustres de antigos jogadores de parte a parte. Ronaldo, o Fenómeno, que passou pelas duas equipas e hoje joga no Corinthians, resumiu: “Tenho muito carinho pelo Madrid, mas está claro que o Barcelona é a melhor equipa do Mundo da actualidade”. Rivaldo, ex-blaugrana, foi mais expansivo. “Messi é o melhor do Mundo, sem dúvida. (…) É tão fácil jogar futebol. Todos os treinadores deviam gravar este jogo e ensina-lo aos seus jogadores. (…) Que vergonha Madrid, 5-0”, concluiu o avançado, que, aos 38 anos, está à procura de clube.

De Cristiano Ronaldo, curiosamente, muito pouco se falou. Quer durante o jogo (tirando o empurrão a Guardiola), quer depois. O presidente do Barça, Sandro Rosell, chegou a brincar que gostava de “ter Ronaldo”, mas “como suplente”. O avançado português limitou-se a alguns remates, mas mais uma vez diante do Barcelona esteve perto da invisibilidade, sem confirmar o título de artilheiro da Liga espanhola que mantém. Messi também não marcou, mas foi uma das estrelas da noite blaugrana com brilhantes assistências e uma participação na manobra da equipa que dá gosto ver. Xavi, médio do Barça, que abriu a goleada, garantiu que estes 5-0 ainda tiveram “melhor sabor” que os 6-2 conseguidos pelos catalães em pleno Bernabéu em Maio de 2009, cerca de dois meses antes da contratação de Ronaldo pelos merengues.

Para Sneijder, jogador de quem começámos a falar neste artigo, o melhor seria mesmo Mourinho regressar ao Inter, onde o espanhol Rafa Benítez não está a conseguir levar a bom porto a obra deixada pelo português. Para Mourinho, o melhor será, como ele assume, chegar depressa a recepção ao Valência, marcada para sábado à noite, e na qual já sabe que não vai poder contar com Ricardo Carvalho e Sérgio Ramos.

A ficha e crónica do jogo no jornal espanhol Marca

Esta entrada foi publicada em Desporto com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s