| JOY DIVISION | Peter Hook revê “Ian Curtis” no feminino

Rowetta reinterpreta Ian Curtis

Rowetta reinterpreta Ian Curtis

É muito complicado refazer o que está perfeitamente datado e colado a uma voz, a um instrumento. Este ano marcou a digressão de homenagem a Ian Curtis, saparecido há 30 anos. Hook liderou o projecto e já o trouxe a Portugal. Pelo meio, anunciou uma nova edição: um EP de 4 músicas do mítico quarteto de Manchester, 3 delas revistas pela voz de Rowetta Satchell, dos Happy Mondays.

“Atmosphere”, Peter Hook & the Light feat. Rowetta
(Tema de abertura do EP “1102/2011”, lançado de forma digital em maio de 2011)


Peter Hook assume novo desafio que para muita gente será uma vez mais polémico. Depois de ter levado ao palco uma digressão integralmente composta por músicas dos Joy Division, banda de que foi fundador, mas que estava enterrada desde o suicídio em Maio de 1980 do vocalista Ian Curtis, agora o baixista anuncia a gravação de um EP. São quatro versões da mítica banda, mas, ao contrário, por exemplo, do concerto que deu em Julho passado em Paredes de Coura, Hook cede as cantorias a uma mulher. Rowetta Satchell, filha de mãe judia e pai nigeriano, é conhecida por ter sido uma das vozes dos Happy Mondays, outra mítica banda de Manchester, Inglaterra. Ouvi-la transporta-nos facilmente para alguns dos maiores sucessos do grupo de Shaun Ryder na transição da década de 80 para a de 90. É estranho tentar perceber sem ouvir como será ela no lugar de Curtis. Mas entranha-se bem.

A voz feminina dos Happy Mondays

Rowetta, cuja carreira se afastou da glória na última década, tem vindo a colaborar com Peter Hook em alguns concertos e agora pediu autorização para passar essa experiência para disco. “Ela quer que nós gravemos um EP das quatro canções que canta ao vivo: ‘Insight’, ‘New Dawn Fades’, ‘Atmosphere’ e uma outra chamada ‘Pictures’. Por isso, nós vamos fazer este EP. Mas isto só porque as versões que a Rowetta canta têm realmente qualidade”, contou Peter Hook ao New Musical Express.

“Pictures”, pelo que se entende de algumas entrevistas de Hook, era uma canção inacabada de 1978 e que ilustra a passagem dos Warsaw a Joy Division. “É tão punk e mostra-nos a bela loucura [dessa fase]. As letras do Ian Curtis dão-lhe profundidade e a música cresceu à volta desse foco. E é por isso que gosto dela”, afirmou o baixista. O tema foi estreado em Fevereiro deste ano no concerto de abertura da nova sala de concertos “FAC251 – The Factory”, em Manchester. Hook é co-proprietário do espaço, que fica no mesmo prédio da mítica Hacienda, a discoteca “construída por Tony Wilson [o empresário], paga pelos New Order e destruída pelos Happy Mondays”, lê-se na introdução do site ofcial.

Concerto de Peter Hook na abertura da nova Factory

Rowetta foi, aliás, uma das primeiras vozes à experiência para reencarnar Ian Curtis. Esteve nesses concertos inciais. Mas as críticas na internet, algumas arrasadoras, fizeram-na recuar. E Hook assumiu, além do baixo, também a voz, sendo acompanhado pela banda The Lights e em alguns espectáculos pelo filho, Jack, de 21 anos, que “nem é grande fã dos Joy Division, gosta mais de Pearl Jam e Foo Fighters”. Não se saíram mal de todo. A digressão, que contou com vários espectáculos de lotação esgotada, cresceu e prepara-se para “aterrar” no Estados Unidos, para onde os Joy Division iam embarcar há 30 anos quando Ian Curtis colocou a corda ao pescoço e sucumbiu ao sofrimento da esquizofrenia.

“Atmosphere”, Peter Hook & the Light feat. Rowetta
(vídeo oficial)

Numa esclarecedora entrevista à revista Spin, em vésperas da digressão americana, Peter Hook aborda de frente as polémicas da digressão, é questionado pelo concerto de Portugal, entre outros, e dos projectos futuros, que inclui uma biografia dos tempos dos Joy Division.

O baterista original dos Joy Division, Stephen Morris, por fim, participa a 8 de Dezembro próximo numa conferência com fãs e vai falar do lançamento de “+ -“, a caixa que reúne dez singles do mítico grupo especialmente preparada para este 30.º aniversário sobre o desaparecimento de Ian Curtis.

“Atmosphere”/ “Insight”, Peter Hook & the Light feat. Rowetta
(ao vivo na FAC251, Manchester, 5 fevereiro 2010 – publicado por John Montague)

Peter Hook em Paredes de Coura, 30 Julho 2010

Artigos relacionados:
Peter Hook leva “Closer” ao palco
Música nova de Joy Division revelada
Novo EP adiado por questões legais
EP de estreia editado
Peter Hook leva “Still ” a palco

Mais informação:
Myspace de Peter Hook
Myspace de Rowetta
Site oficial de Rowetta

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Música com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

2 respostas a | JOY DIVISION | Peter Hook revê “Ian Curtis” no feminino

  1. Roberto Autran Nunes diz:

    Eu nunca imaginei que teria de percorrer pelos esconsos caminhos de um ignorado sentimento, quando subitamente, ouço alguém chamar, então espero pelo dia de amanhã e nada daí havia a esperar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s