Liga Europa: Dragões melhor que leões… ligeiramente

FC Porto empata em casa com Besiktas, mas aproveita resultado alheio para garantir apuramento a duas jornadas do final da fase de grupos. O Sporting mexeu demasiado na equipa e pagou com uma derrota que deixa o apuramento ainda por assegurar

Foto: UEFA



O FC Porto recebeu a visita dos turcos do Besiktas, na quarta jornada do grupo L da Liga Europa, e, desta feita, não foi além de um empate a um golo depois de há duas semanas ter vencido (3-1) em Istanbul. O magro resultado, ainda assim, serviu os interesses da equipa de André Villas Boas fruto da vitória (2-1) do “lanterna vermelha” CSKA de Sofia em Viena, na visita ao Rapid. O FC Porto tem presença garantida nos 16 avos de final da prova.


Os dragões apresentaram algumas mexidas no onze, com as trocas de Maicon por Otamendi, Fernando por Guarín, Moutinho (banco) por Ruben Micael e Varela (banco) por Cristián Rodriguez. A equipa ressentiu-se um pouco, especialmente a meio campo. Mas, na frente, Hulk e Falcao foram um constante quebra-cabeças para os defesas do Besiktas. Os turcos, por seu lado, já contaram com o espanhol Guti (ex-Real Madrid) a comandar as operações – Quaresma esteve ausente, ainda a recuperar de lesão –, e estiveram melhor do que há duas semanas.

Falcao inaugurou o marcador aos 36’, de penálti, após falta que o próprio “sacou” ao guarda-redes Hakan Harikan. Depois da expulsão de Cristián Rodriguez, que viu o segundo amarelo por discutir com um adversário e ainda se sentiu mal disposto quando chegou ao balneário, já na segunda parte, uma bola na barra, por intermédio de Holosko, foi o aviso para o “míssil” de Nihat, aos 62’, que igualou o marcador no Dragão. Pouco depois, porém, uma entrada dura de Toraman sobre Falcao deixou as equipas a jogar 10 contra 10. E, até final, houve mais dois lances dignos de registo: Aos 75’, Bobo, de muito longe, tentou um chapéu a Helton e voltou a acertar na barra portista; quatro minutos depois, Guarín serviu Micael, o madeirense fez um bonito chapéu ao guarda-redes, mas Gulum conseguiu cortar sobre a linha de baliza, com os portistas a reclamarem golo.

“Não vencemos por capricho e decisão do árbitro”, acusou no final André Villas Boas, explicando que o empate surgiu quando o FC Porto andava “à procura do ajustamento táctico” após a expulsão de Rodriguez. “É de valorizar o que fizemos `s portas de um clássico que é daqui a 72 horas”, concretizou o treinador portista, já com a recepção de domingo (20h15, Sport TV1) ao Benfica no horizonte.
Do lado turco, a conformação. “As duas equipas jogaram para ganhar. Foi vibrante. Cada equipa teve os seus momentos, mas o resultado é justo. Ficamos ambos bem com este empate”, defendeu o treinador alemão Bernd Schuster.

Grupo L
Classificação, resultados e próximos jogos:

Página 2 – A derrota do Sporting

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Desporto com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s