O regresso dos Soundgarden

Chris Cornell está de volta à banda que o tornou famoso e o “jardim do som” volta a fazer-se ouvir. Reedições, digressão e uma compilação de êxitos assinalam o renascer em 2010 de um dos grandes grupos da década de 90. Esperam-se surpresas em 2011…

Um dos grandes regressos de 2010... o grunge está de volta

A onda dos anos 80 ainda não deixou de animar a praia do século XXI, mas os anos 90 também estão aí para recordar o rock mais “grungy” que marcou os “nineties”. Os SoundGarden foram um dos grandes ícones dessa década e, à imagem de outras bandas similares como os Faith No More (ainda sem álbum novo), os Alice In Chains (com novo vocalista e novo disco) ou os Stone Temple Pilots (Scott Weilland de regresso e também novo disco), estão de volta com o inconfundível Chris Cornell a espremer o microfone como só ele sabe.
“Telephantasm” é o título do novo longa duração dos Soundgarden, uma retrospectiva da carreira com edição marcada para 28 de Setembro, e “Black Rain” é o primeiro avanço. É um tema que, segundo explicam os próprios, foi originalmente gravado nas sessões do relevante álbum “Badmotorfinger” (1991), mas não utilizado na altura. O tema foi agora escolhido para figurar na nova edição do jogo “Guitar Hero”, a sexta, que sai precisamente a 28 de Setembro com o título “Warriors of Rock”, e com essa distinção “Black Rain” ganha também honras de single de apresentação deste disco de regresso do “jardim do som” quase vinte anos depois. Na forja, garantiu Chris Cornell, está também o regresso aos discos de originais. Para já, no entanto, é tempo de desenferrujar guitarras, voz e bateria, voltar a tocar as músicas antigas, sentir o prazer e desfrutar dos concertos.

Foram 12 anos de paragem dos Soundgarden, aproveitados por Chris Cornell para desenvolver vários outros projectos como os Audioslave e a própria carreira a solo. Matt Cameron tornou-se baterista dos conterrâneos Pearl Jam, banda que por esta altura está a desfrutar de umas belas férias. Kim Thayil e Ben Sheperd protagonizaram várias colaborações com artistas como Jello Biafra (Dead Kennedys) ou Mark Lanegan (Screaming Trees e Queens of the Stone Age). Sheperd, porém, caiu mesmo em desgraça, faliu, ficou sem casa e viciado em analgésicos e alcool.
No início deste ano, Cornell anunciou através do Twitter que a paragem tinha chegado ao fim e que estava de volta à escola: “The 12-year break is over and school is back in session. Sign up now. Knights of the Soundtable ride again!
A confirmação do regresso aconteceu em Março, com o anúncio da reedição do single “Hunted Down”, em vinil, complementado com “Nothing to Say” no lado b. E um mês depois foram anunciados os primeiros concertos, com particular evidência para o “headlining” a 8 de Agosto último do festival norte-americano Lollapalooza.
Na bagagem da digressão, os Soundgarden, nascidos em 1984 na mítica cidade de Seattle, arrumaram bem dobradinhos mais de um quarto de século de carreira (12 anos em hibernação do projecto), cinco álbuns de originais (“Ultramega OK” (1988); “Louder Than Love” (1989); “Badmotorfinger” (1991); “Superunknown” (1994); e Down on the Upside (1996)) e três compilações, já a contar com esta de 2010 (“Screaming Life/Fopp” (1990); “A-Sides”, (1997); e “Telephantasm”, (2010)). Venham eles… embora novas datas de concertos ainda não sejam conhecidas. Mas 2011 é já ali e Portugal é logo aqui.

Esta entrada foi publicada em Música, Mundo com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s